Pedro Henrique

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pedro Henrique

Mensagem por Pedro Henrique em Qua 15 Maio 2013, 21:27

Sexo: Masculino

Idade: 13

Raça: Semideus

Destreza: Direito

Características:
Positivas: Mestre, Reflexos Aprimorado, Ambidestria.
Negativas Código do Combate, Código dos Heróis, Código da Honestidade.

Questionário:

I) Qual desses adjetivos te descreve melhor?
a) Formoso.
b) Maioral.
c) Sagaz.
d) Líder.
e) Reservado.
f) Alegre.(x)
g) Caridoso.
h) Rancoroso.
i) Impaciente.

II) Se um dos seus amigos sumisse, o que você faria?
a) Chamaria mais amigos e lideraria uma busca para encontrá-lo.
b) Iria procurá-lo só, pois não gosto de depender de ninguém mais.
c) Correria para procurá-lo, pois cada minuto sem meu amigo vale ouro.
d) Sentaria para pensar – sem agir precipitadamente – tomando assim melhor decisão pensada.
e) Faria o que for preciso para sair em missão à sua procura.(x)
f) Mesmo gostando dele, não arriscaria sair à sua procura.

III) Nas horas vagas, você gosta de:
a) Devorar livros.
b) Desmontar objetos eletrônicos.
c) Sair com a família ou amigos.
d) Ficar me olhando no espelho, inventando penteados.
e) Ficar perto de animais, ao ar livre ou não.
f) Jogar cartas, jogo de RPG, algum esporte... o importante é não ficar sem mexer os músculos.
g) Pensar na vida.
h) Dormir.
i) Tocar algum instrumento, ouvir música ou fazer poesia.
j) Mandar torpedos com o celular ou ficar no facebook ou MSN.
k) Faço a primeira coisa que me vir à cabeça, mas não fica parado.(x)

IV) Sobre a sua família:
a) Eu entro numa briga por qualquer um da minha família.
b) Apesar dos meus problemas familiares, eu dou meu sangue por ela.(x)
c) Sempre aprendi a me virar sem a ajuda de ninguém, nem mesmo da minha família.
d) O que nos une é a troca mútua de conhecimentos.
e) Sempre estamos juntos, mesmo nas viagens ou nas encrencas.
f) Saímos muito juntos para nos divertir.
g) Ela entende meu jeito de ser e não critica minha(s) personalidade(s).

V) Qual estilo de luta se aproxima mais do seu:
a) Intimido meu adversário com minhas faculdades antes de lutar.
b) Vou ao encontro do meu adversário para bater nele.
c) Começo a atacar de longe, atirando coisas.
d) Luto para valer, mas se tiver perdido, chamo meus amigos para me vingarem.
e) Como sempre estou rodeado de pessoas, nunca lutarei sozinho.
f) Sempre tento evitar uma luta com conversa, mas se não tem jeito, parto para cima.(x)
g) Não mexam comigo, senão minha família virá me ajudar.
h) Posso não parecer grande coisa, mas luto sozinho... e muito bem.

VI) Você está passando pelo bosque quando vê um cara tentando pôr fogo nas árvores. O que você faz?
a) Vou até lá e brigo com o cara.(x)
b) Não faço nada, afinal gosto de fogo.
c) Mando uma mensagem para as autoridades denunciando aquilo.
d) Vou até ele e tento convencê-lo a parar com aquilo.
e) Pergunto se posso assar marshmallows no fogo.
f) Xingo o imbecil que está cometendo esse crime.
g) Rezo para que a alma daquele cara seja consumida no inferno.
h) Não faço nada, afinal não é meu dever e não gosto de fogo.

VII) Como seria seu par perfeito, mais ou menos?
a) Impositor, protetor e corajoso.
b) Dócil, lindo e delicado.
c) Forte, habilidoso e resistente.
d) Festeiro, brincalhão, piadista.
e) Reservado, pensa mais do que fala.
f) Energizado, caloroso.
g) Pode se adaptar a qualquer situação inconveniente.(x)

VIII) O que mais gosta (ou gostaria) de fazer nas férias?
a) Pular de paraquedas ou voar de parapente.
b) Ir à praia com os amigos, família ou namorada(o).(x)
c) Conhecer grutas subterrâneas e escavações.
d) Assistir a uma luta de UFC.
e) Visitar um museu.
f) Conhecer outros lugares e pessoas.
g) Ir ao zoológico.
h) Ir a uma montanha nevada para conhecer, brincar e dormir na neve.

IX) Se você pudesse escolher seu(sua) pai/mãe divino(a), quem seria?
Poseidon.
História: [justify]Pedro nasceu órfão de pai e mãe, seu pai não se sabia quem era e disseram-lhe que sua mãe havia sido atropelada por um caminhão enquanto caminhava e o seu corpo já havia desfalecido quando ele foi retirado da barriga de sua mãe.
Fruto de uma gravidez indesejada, e rejeitado pela família, foi entregue a adoção. Passou 13 anos num orfanato no Brasil mais precisamente em São Paulo. A cada ano que se passava suas chances de ser adotado diminuíam gradativamente já que a maioria das pessoas preferia adotar crianças pequenas, mas não se importava com isso, gostava dali, tinha muitos amigos (em especial uma linda garota loira chamada Annabeth) e gostava de todos, não queria ir embora.
Um dia, no café da manhã, notou a ausência de sua melhor amiga, apreensivo se virou para uma das amigas dela e perguntou-lhe onde estava Annabeth como ela respondeu alegando não saber do seu paradeiro deixou seu café da manhã na mesa e subiu em direção ao dormitório feminino transgredindo as regras do orfanato, porém não se importava nada mais importava para ele.
Ao chegar lá procurou por qualquer sinal dela, começou então a revirar todas as camas, a jogar coisas para o alto mais sem êxito.
Passando-se mais de trinta minutos de busca e começando a ficar desesperado, pois até agora não havia encontrado nada que viesse a ser útil ele acha um pequeno bilhete onde está escrito: ”Estou com Annabeth, se quiser revê-la me encontre no beco atrás do orfanato”.
Estava apreensivo pelo que aconteceria a ele se saísse do orfanato, porém, com a vida das pessoas que ama em risco, todo esforço é pouco para ele, era uma característica marcante sua.
Juntou alguma comida achada na cozinha, um martelo velho(não sabia o que o aguardava e queria estar preparado), alguns trapos velhos (talvez tivesse que ficar fora por mais de um dia),amarrou tudo em uma velha mochila surrada e partiu.
Não demorou muito tempo ele pôde enfim se encontrar com o autor da carta:Uma mulher baixa,pouco mais de um metro e meio, mal-humorada(isso dava para perceber pelo seu semblante e pelo seu olhar),andava meio mancando quase como se tivesse uma perna quebrada ou algo parecido,usava roupas largas e rasgadas como se não se importasse com sua aparência o que não condizia com uma filha de Afrodite, pensou ele lembrando-se das histórias malucas de sua querida amiga Annabeth,recobrou então o verdadeiro motivo de estar ali:Annabeth.
Ela disse para que eu entrasse no carro que até o momento não havia sido notado pelo jovem,estava receoso e hesitante mais aquela mulher disse também que a amiga dele estava a espera dele no local para onde estava sendo levado o que imediatamente lhe despertou interesse,retirou sua hesitação e permitiu que ele entrasse no carro reconfortado com tal pensamento,pouco antes de entrar notou uma pequena movimentação em alguns arbustos que insistiam em crescer ali.
Após cerca de uma hora de viagem que transcorreu sem incidente algum Pedro começa a reavaliar sua situação: Estava em um carro que ia para um destino desconhecido, com uma pessoa desconhecida, não sabia o que o aguardava ao chegar ao local aonde ia fosse ele qual fosse, para ser sincero não sabia nem ao menos o que o fizera entrar no carro, mas mesmo assim continuou quieto, crendo que sua amiga estaria lá.
Passou-se mais uma hora antes que o carro parasse. Ao descer ele começa a observar atentamente o local: uma ampla área de terra batida, com casas pequenas e simples dispostas em semicírculo algumas forjas, um arsenal e daí em diante.Dentre todas estas porém destacava-se uma que ficava exatamente de frente para onde eu estava. Era uma construção grande, decorada por dentro com amostras de armas antigas em vitrines como se fossem para exposição, a temperatura dentro do local era baixíssima mesmo não estando tão frio fora do recinto. Antes de entrar parou na porta e notou uma rápida movimentação entre algumas árvores ao lado.
Quando finalmente entrou no prédio principal sentiu algo ruim e um arrepio percorreu-lhe a espinha, fosse o que fosse que estivesse ali ele tinha certeza que era do mal até mesmo pensou em voltar mais nesse instante as portas se fecharam ruidosamente atrás dele. Sem outra opção começou a andar pelo longo corredor.
O corredor tinha várias portas uma de frente para outra de cada lado do corredor tentou abrir algumas mais todas estavam trancadas e o corredor parecia não acabar nunca mais deveria ser apenas seus olhos lhe pregando peças,devia ser porque não tomou o café-da-manhã direito.Tentou abrir mais algumas portas mas sem sucesso, por fim tentou abrir uma última porta antes de desistir e voltar atrás.
A porta se abriu e dentro estava apenas um homem que aparentava ter uns 40 anos de idade,com uma cicatriz cortando parte de seu olho,era uma ferida que aparentava ter sido reaberta recentemente,de cada lado dois outros homens realmente grandes talvez medindo dois metros e setenta cada um com mãos grandes imaginei que talvez jogassem no time de basquete desta escola,em um canto da sala meio escondido pelas sombras se encontrava um sarcófago dourado com cenas de mortes horríveis e torturas que nem ouso descrever.
Ele me viu, fez apenas um gesto com as mãos e uma cadeira apareceu magicamente em frente a sua mesa, com outro aceno de suas mãos apareceu um verdadeiro banquete. Só então o jovem semideus percebeu o quanto estava com fome mal havia jantado na noite passada e apenas beliscou o café-da-manhã antes de sair nessa aventura, porém, algo estava errado não havia visto sua amiga Annabeth em parte alguma e aquilo mais parecia uma escola militar do que qualquer outra coisa.
Apesar disso sentou-se, tinha a impressão de que não deveria contrariar aquele homem, começou a comer, a fome falando mais alto que o medo, o homem continuava calado e quieto apenas me observando comer, talvez determinando se eu seria melhor como ferreiro ou guerreiro ou sei lá mais o que.
Quando acabou de comer o homem com um movimento rápido fez sumir da minha frente todo o banquete e começou a me inquirir sobre mitos, lendas e deuses gregos, não fossem as lições de minha amiga Annabeth sobre o assunto o semideus passaria vergonha, mas com elas o ele se saiu razoavelmente bem.
Então o que você diria se eu dissesse que isso tudo isso é real?Todos os Deuses, Titãs e monstros. E se eu lhe dissesse que o poderoso Cronos, o titã dos titãs está se reerguendo de seu castigo imposto pelos Deuses, que ele está reunindo o mais poderoso e grandioso exército para marchar e tomar o Olimpo, dominar os Deuses e construir uma nova era na qual os Titãs voltaram a reinar como antes e que ele também precisa de semideuses, os filhos dos Deuses com os mortais, para seu exército, o que o inclui jovem semideus.
Aquilo era realmente estranho, quer dizer nada no seu dia estava normal acordara e descobrira que sua melhor amiga havia sido capturada, depois veio até esse esquisito lugar na companhia de uma velhinha mal-humorada e tudo já estava bem estranho, mas, quando aquele homem disse tudo aquilo ele realmente achou que tinha chegado ao fundo do poço,ao cúmulo do absurdo, mas o pior de tudo era que ele temia a possibilidade de tudo o que aquele homem estranho e louco lhe dissera: Estava acostumado a ver seres com rabos, escamas e tudo mais de esquisito que houvesse no mundo, no entanto, mesmo estando fascinado com isso e com a possibilidade de ser um semideus que pelas histórias que sua amiga lhe contava alguns possuíam poderes incríveis como Hércules mais aquilo significava também um grande risco, pelo que sabia semideuses tinha que ser treinados para combater monstros e outras coisas horríveis e arriscar suas vidas pela humanidade etc, etc, etc.
No entanto, mesmo que isso seja possível ele não sabia se queria se aliar a Cronos. Ele realmente não tinha um perfil dos melhores ou mais amigáveis, pelo contrário era sempre destruidor,arrasador,cruel o que estava do lado errado,do lado do mal.
Com isso em mente se decidiu: De forma alguma seria do exército de alguém como ele.Quando anunciou sua decisão o velho homem tentou persuadi-lo mas ele continuou firme em sua decisão de não fazer parte do exército do Titã.
Talvez isso faça com que mude de ideia, bateu as palmas e uma menina entrou no salão, acorrentada e escoltada por dois guardas uniformizados, a menina tinha marcas por todo o corpo parecia que havia lutado violentamente antes de ser trazida para cá
Solte-a ou eu destruo este lugar todo apenas com minhas mãos não duvide disso -disse ele na expectativa de produzir algum resultado com sua ameaça que não chegava a ser realmente uma ameaça- eu sozinho serei capaz de destruir este lugar você verá-continuava ele.
Ele apenas riu,acalme-se garoto, nenhum mal será feito a ela se você se unir a nós e ao poderoso Senhor Cronos.Ele pensou um pouco e estava quase se rendendo a eles para salvar sua amiga Annabeth mais nesse momento entraram pela sala cinco homens e cinco mulheres de cada lado do que parecia ser o líder dessa invasão,ele rapidamente reparou que o homem somente era um homem da cintura pra cima e que da cintura para baixo era um belo cavalo branco,trazia nas costas uma espada e nas mãos um arco armado com uma flecha meio dourada meio prateada, reparou também que todos os outros que o acompanhavam eram apenas adolescentes de não mais que 15 ou 16 anos de idade mas todos portavam armas e estavam vestidos para ir a guerra(o que ele achava que era verdade) era isso,um grupo viera resgatá-lo ou simplesmente queriam destruir aquele lugar inteiro de uma forma ou de outra ele tinha uma certeza:Estava a salvo ele e sua querida amiga Annabeth.
Seus olhos brilharam quando percebeu que não precisaria se unir a Cronos e seu exército, porém, também não conhecia aquelas pessoas que ele julgava que tivessem vindo para ajudá-lo e se realmente não fosse isso?E se eles julgassem que ele já havia se unido ao Titã e que já estivesse perdido?Será que se salvaria?E quanto a Annabeth?O que lhe aconteceria?Com tantas perguntas em mente ele não sabia o que fazer, apenas ficou parado observando os dois grupos se encararem sem saber ao certo o que fazer.
O centauro - o homem-cavalo- começou a dizer:
--Renda-se agora, todo o seu exército já foi dominado e em breve você também estará dando explicações diante do Olimpo.
Ele ficou imóvel, aparentemente assustado mais depois de um tempo ele finalmente reagiu e disse:
--Acho que está enganado meu querido centauro, o que vê aqui é apenas uma ínfima parcela das tropas do meu Senhor Cronos, estávamos aqui tranquilamente planejando o nosso ataque ao seu querido Acampamento, Não há motivos para se estressar assim.Ele sorriu maliciosamente dando uma de bobo.
O centauro mudou a postura para uma expressão cansada.
--Querido amigo Jones-disse ele com desprazer, estava claro que ele não era muito querido realmente-vejo que não muito desde que fugiu de nosso querido Acampamento-mais uma vez com aquele tom que dizia claramente que o quanto ele havia sido cínico ao dizer que o Acampamento era querido por ele- Continua com a mesma arrogância e cinismo de antes. Se não quer pelo jeito fácil vamos pelo difícil: Preparar armas, semideuses, ao ataque!Bradou ele.
Com um rugido ele disparou com seu arco atingindo um dos homens ao lado de Jones que se desintegrou instantaneamente, com isso sobraram apenas Jones e seu outro guarda-costas, doze pessoas-bom, se considerarmos o centauro como pessoa e Pedro como uma ajuda-contra apenas três pessoas não deveria dar muito trabalho, porém, o guarda-costas de Jones valia por três semideuses enquanto que a perícia do outro homem contava por mais três.
Mesmo assim a batalha foi dura, inacreditavelmente aquele pequeno grupo deu um grande trabalho à equipe do centauro, mais no fim foram contidos e amarrados com grossas correntes de ouro (o outro guarda-costas foi morto também), Annabeth foi liberta e estava segura novamente o que desapertou um pouco o estranho nó na garganta do semideus este, contudo tinha suas dúvidas mas quando as expôs o centauro o repreendeu dizendo que ainda não estava na hora e que logo encontraria as respostas para todas as suas dúvidas.
Com tudo acabado o centauro se virou para onde estavam amarrados os guardas que haviam escoltado Annabeth até ali e Jones viu que inacreditável e inexplicavelmente eles haviam fugido mais seu objetivo maior havia sido cumprido Annabeth foi resgatada e tinham um semideus a mais para treinar e que lutaria ao seu lado se preciso fosse.
Terminando de destruir toda a área eles se foram de volta para o Acampamento Meio-Sangue,que ficava no alto de uma colina perto de Long Island nos Estados Unidos.




Exército de Zeus
VANTAGENS:Mestre,Reflexos Aprimorado,Ambidestria;
DESVANTAGENS:Código do Combate,Código dos Heróis,Código da Honestidade.[/center]
avatar
Pedro Henrique

Mensagens : 30

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo:
Nível: 3
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Henrique

Mensagem por Afrodite em Sab 18 Maio 2013, 18:55

Ficha recusada, Melhores os erros de gramatica e português contidos no texto, pra ser aceito como filho de um dos três grandes ainda deve melhorar, edite a ficha ela sera reavaliada.




Afrodite Deusa Olimpiana
Deusa do amor e da beleza • Staffer  • Sexy • Linda e seduzente • plus que ma proprie vie...


Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
avatar
Afrodite

Mensagens : 138

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo: Zeus
Nível: 999999999
Inventário:

http://pll-secretsforever.forumeiros.com/forum

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Henrique

Mensagem por Pedro Henrique em Dom 19 Maio 2013, 21:43

Sexo: Masculino

Idade: 13

Raça: Semideus

Destreza: Direito

Características:
Positivas: Mestre, Reflexos Aprimorado, Ambidestria.
Negativas Código do Combate, Código dos Heróis, Código da Honestidade.

Questionário:

I) Qual desses adjetivos te descreve melhor?
a) Formoso.
b) Maioral.
c) Sagaz.
d) Líder.
e) Reservado.
f) Alegre. (x)
g) Caridoso.
h) Rancoroso.
i) Impaciente.

II) Se um dos seus amigos sumisse, o que você faria?
a) Chamaria mais amigos e lideraria uma busca para encontrá-lo.
b) Iria procurá-lo só, pois não gosto de depender de ninguém mais.
c) Correria para procurá-lo, pois cada minuto sem meu amigo vale ouro.
d) Sentaria para pensar – sem agir precipitadamente – tomando assim melhor decisão pensada.
e) Faria o que for preciso para sair em missão à sua procura. (x)
f) Mesmo gostando dele, não arriscaria sair à sua procura.

III) Nas horas vagas, você gosta de:
a) Devorar livros.
b) Desmontar objetos eletrônicos.
c) Sair com a família ou amigos.
d) Ficar me olhando no espelho, inventando penteados.
e) Ficar perto de animais, ao ar livre ou não.
f) Jogar cartas, jogo de RPG, algum esporte... O importante é não ficar sem mexer os músculos.
g) Pensar na vida.
h) Dormir.
i) Tocar algum instrumento, ouvir música ou fazer poesia.
j) Mandar torpedos com o celular ou ficar no facebook ou MSN.
k) Faço a primeira coisa que me vir à cabeça, mas não fica parado. (x)

IV) Sobre a sua família:
a) Eu entro numa briga por qualquer um da minha família.
b) Apesar dos meus problemas familiares, eu dou meu sangue por ela. (x)
c) Sempre aprendi a me virar sem a ajuda de ninguém, nem mesmo da minha família.
d) O que nos une é a troca mútua de conhecimentos.
e) Sempre estamos juntos, mesmo nas viagens ou nas encrencas.
f) Saímos muito juntos para nos divertir.
g) Ela entende meu jeito de ser e não critica minha(s) personalidade(s).

V) Qual estilo de luta se aproxima mais do seu:
a) Intimido meu adversário com minhas faculdades antes de lutar.
b) Vou ao encontro do meu adversário para bater nele.
c) Começo a atacar de longe, atirando coisas.
d) Luto para valer, mas se tiver perdido, chamo meus amigos para me vingarem.
e) Como sempre estou rodeado de pessoas, nunca lutarei sozinho.
f) Sempre tento evitar uma luta com conversa, mas se não tem jeito, parto para cima.(x)
g) Não mexam comigo, senão minha família virá me ajudar.
h) Posso não parecer grande coisa, mas luto sozinho... e muito bem.

VI) Você está passando pelo bosque quando vê um cara tentando pôr fogo nas árvores. O que você faz?
a) Vou até lá e brigo com o cara.(x)
b) Não faço nada, afinal gosto de fogo.
c) Mando uma mensagem para as autoridades denunciando aquilo.
d) Vou até ele e tento convencê-lo a parar com aquilo.
e) Pergunto se posso assar marshmallows no fogo.
f) Xingo o imbecil que está cometendo esse crime.
g) Rezo para que a alma daquele cara seja consumida no inferno.
h) Não faço nada, afinal não é meu dever e não gosto de fogo.

VII) Como seria seu par perfeito, mais ou menos?
a) Impositor, protetor e corajoso.
b) Dócil, lindo e delicado.
c) Forte, habilidoso e resistente.
d) Festeiro, brincalhão, piadista.
e) Reservado, pensa mais do que fala.
f) Energizado, caloroso.
g) Pode se adaptar a qualquer situação inconveniente.(x)

VIII) O que mais gosta (ou gostaria) de fazer nas férias?
a) Pular de paraquedas ou voar de parapente.
b) Ir à praia com os amigos, família ou namorada(o).(x)
c) Conhecer grutas subterrâneas e escavações.
d) Assistir a uma luta de UFC.
e) Visitar um museu.
f) Conhecer outros lugares e pessoas.
g) Ir ao zoológico.
h) Ir a uma montanha nevada para conhecer, brincar e dormir na neve.

IX) Se você pudesse escolher seu(sua) pai/mãe divino(a), quem seria?
Poseidon.
História: Pedro nasceu órfão de pai e mãe, seu pai não se sabia quem era e disseram-lhe que sua mãe havia sido atropelada por um caminhão enquanto caminhava e o seu corpo já havia desfalecido quando ele foi retirado da barriga de sua mãe.
Fruto de uma gravidez indesejada, e rejeitado pela família, foi entregue a adoção. Passou 13 anos num orfanato no Brasil mais precisamente em São Paulo. A cada ano que se passava suas chances de ser adotado diminuíam gradativamente já que a maioria das pessoas preferia adotar crianças pequenas, mas não se importava com isso, gostava dali, tinha muitos amigos (em especial uma linda garota loira chamada Annabeth) e gostava de todos, não queria ir embora.
Um dia, no café da manhã, notou a ausência de sua melhor amiga, temeroso por ela, ele se virou para uma de suas amigas e perguntou-lhe onde estava Annabeth, como ela respondeu alegando não saber do seu paradeiro deixou seu café da manhã na mesa e subiu em direção ao dormitório feminino transgredindo as regras do orfanato, porém não se importava com isso a única coisa que importava para ele era encontrar sua amiga.
Ao chegar lá procurou por qualquer sinal dela, começou então a revirar todas as camas, a jogar coisas para o alto mais sem êxito.
Passando-se mais de trinta minutos de busca e começando a ficar desesperado, pois até agora não havia encontrado nada que viesse a ser útil ele acha um pequeno bilhete onde está escrito: ”Estou com Annabeth, se quiser revê-la me encontre no beco atrás do orfanato”.
Estava apreensivo pelo que aconteceria a ele se saísse do orfanato, porém, com a vida das pessoas que ama em risco, todo esforço é pouco para ele, era uma característica marcante sua.
Juntou alguma comida achada na cozinha, um martelo velho que já estava meio enferrujado (não sabia o que o aguardava e queria estar preparado), alguns trapos velhos (todas as suas roupas se resumiam a trapos velhos), amarrou tudo em uma velha mochila surrada e partiu.
Não demorou muito tempo ele pôde enfim se encontrar com o autor da carta: Uma mulher baixa, pouco mais de um metro e meio, mal-humorada (isso dava para perceber pelo seu semblante e pelo seu olhar), andava meio mancando quase como se tivesse uma perna quebrada ou algo parecido, usava roupas largas e rasgadas como se não se importasse com sua aparência o que não condizia com uma filha de Afrodite, pensou ele e riu, lembrando-se das histórias malucas de sua querida amiga Annabeth, recobrou então o verdadeiro motivo de estar ali: Annabeth.
Ela disse para que eu entrasse no carro que até o momento não havia sido notado pelo jovem, estava receoso e hesitante mais aquela mulher disse que a amiga dele estava à espera dele no local para onde estava sendo levado o que imediatamente lhe despertou interesse, retirou sua hesitação e permitiu que ele entrasse no carro reconfortado com tal pensamento, pouco antes de entrar notou uma pequena movimentação em alguns arbustos que insistiam em crescer ali.
Após cerca de uma hora de viagem que transcorreu sem incidente algum Pedro começa a reavaliar sua situação: Estava em um carro que ia para um destino desconhecido, com uma pessoa desconhecida, não sabia o que o aguardava ao chegar ao local aonde ia fosse ele qual fosse, para ser sincero não sabia nem ao menos o que o fizera entrar no carro, mas mesmo assim continuou quieto, crendo que sua amiga estaria lá.
Passou-se mais uma hora antes que o carro parasse. Ao descer ele começa a observar atentamente o local: uma ampla área de terra batida, com casas pequenas e simples dispostas em semicírculo algumas forjas, um arsenal e daí em diante. Dentre todas estas, porém destacava-se uma que ficava exatamente de frente para onde eu estava. Era uma construção grande, decorada por dentro com amostras de armas antigas em vitrines como se fossem para exposição, a temperatura dentro do local era baixíssima mesmo não estando tão frio fora do recinto. Antes de entrar parou na porta e notou uma rápida movimentação entre algumas árvores ao lado.
Quando finalmente entrou no prédio principal sentiu algo ruim e um arrepio percorreu-lhe a espinha, fosse o que fosse que estivesse ali ele tinha certeza que era do mal e até mesmo pensou em voltar mais como se reagisse ao seu pensamento às portas se fecharam ruidosamente atrás dele. Sem outra opção começou a andar pelo longo corredor.
O corredor tinha várias portas uma de frente para a outra de cada lado do corredor, tentou abrir algumas mais todas estavam trancadas e o corredor parecia não acabar nunca mais deveria ser apenas seus olhos lhe pregando peças, devia ser porque não tomou o café-da-manhã direito.Tentou abrir mais algumas portas mas sem sucesso, por fim tentou abrir uma última porta antes de desistir e voltar atrás sem se importar com a enorme distância que já havia percorrido para chegar naquela parte do corredor.
A porta se abriu e dentro estava apenas um homem que aparentava ter uns 40 anos de idade, com uma cicatriz cortando parte de seu olho, era uma ferida que aparentava ter sido reaberta recentemente, de cada lado do homem havia dois outros grandes homens aparentando serem seus guarda-costas talvez medindo dois metros e setenta cada um com mãos tão grandes que imaginei que talvez jogassem no time de basquete desta escola.
Ele me viu, fez apenas um gesto com as mãos e uma cadeira apareceu magicamente em frente a sua mesa, com outro aceno de suas mãos apareceu um verdadeiro banquete. Só então o jovem semideus percebeu o quanto estava com fome mal havia jantado na noite passada e apenas beliscou o café-da-manhã antes de sair nessa aventura, porém, algo estava errado, não havia visto sua amiga Annabeth em parte alguma e aquilo mais parecia uma escola militar do que qualquer outra coisa.
Apesar disso sentou-se, tinha a impressão de que não deveria contrariar aquele homem, começou a comer, a fome falando mais alto que o medo, o homem continuava calado e quieto apenas o observando comer, talvez determinando se eu seria melhor como ferreiro ou guerreiro ou sei lá mais o quê.
Quando acabou de comer, o homem com um movimento rápido fez sumir da frente do semideus aquele magnífico banquete e começou um enorme questionário sobre mitos, lendas e deuses gregos, não fossem as lições de sua amiga Annabeth sobre o assunto o semideus passaria vergonha, mas com elas o ele se saiu razoavelmente bem.
Então o que você diria se eu dissesse que isso tudo isso é real?Todos os Deuses, Titãs e monstros. E se eu lhe dissesse que o poderoso Cronos, o titã dos titãs está se reerguendo de seu castigo imposto pelos Deuses, que ele está reunindo o mais poderoso e grandioso exército para marchar e tomar o Olimpo, dominar os Deuses e construir uma nova era na qual os Titãs voltaram a reinar como antes e que ele também precisa de semideuses, os filhos dos Deuses com os mortais, para seu exército, o que o inclui jovem semideus.
Aquilo era realmente estranho, quer dizer nada no seu dia estava normal acordara e descobrira que sua melhor amiga havia sido capturada, depois veio até esse esquisito lugar na companhia de uma velhinha mal-humorada e tudo já estava bem estranho, mas, quando aquele homem disse tudo aquilo ele realmente achou que tinha chegado ao fundo do poço,ao cúmulo do absurdo, mas o pior de tudo era que ele temia a possibilidade de tudo o que aquele homem estranho e louco lhe dissera ser verdade: Estava acostumado a ver seres com rabos, escamas e tudo mais de esquisito que houvesse no mundo, no entanto, mesmo estando fascinado com isso e com a possibilidade de ser um semideus que pelas histórias que sua amiga lhe contava alguns possuíam poderes incríveis como Hércules mais aquilo significava também um grande risco, pelo que sabia semideuses tinha que ser treinados para combater monstros e outras coisas horríveis e arriscar suas vidas pela humanidade etc, etc, etc.
No entanto, mesmo que isso seja possível ele não sabia se queria se aliar a Cronos. Ele realmente não tinha um perfil dos melhores ou mais amigáveis, pelo contrário era sempre o vilão da história, o motivo dos problemas.
Com isso em mente se decidiu: De forma alguma seria do exército de alguém como ele. Quando anunciou sua decisão o velho homem tentou persuadi-lo, mas ele continuou firme em sua decisão de não fazer parte do exército do Titã.
Talvez isso faça com que mude de ideia, bateu as palmas e uma menina entrou no salão, acorrentada e escoltada por dois guardas uniformizados, a menina tinha marcas por todo o corpo parecia que havia lutado ferozmente antes de ser trazida para esta estranha escola (até então ele já havia concluído ter se tratado de uma escola).
Solte-a ou eu destruo este lugar todo apenas com minhas mãos não duvide disso -disse ele mudando sua expressão para uma mais agressiva.
Ele apenas riu, acalme-se garoto, nenhum mal será feito a ela se você se unir a nós e ao poderoso Senhor Cronos. Ele pensou um pouco e estava quase se rendendo a eles para salvar sua amiga Annabeth mais nesse momento entraram pela sala cinco homens e cinco mulheres de cada lado do que parecia ser o líder dessa invasão, ele rapidamente reparou que o homem somente era um homem da cintura pra cima e que da cintura para baixo era um belo cavalo branco, trazia nas costas uma espada e nas mãos um arco armado com uma flecha dourada, reparou também que todos os outros que o acompanhavam eram apenas adolescentes de não mais que 15 ou 16 anos de idade, mas todos portavam armas e estavam vestidos para ir à guerra (o que ele achava que era verdade) era isso, um grupo viera resgatá-lo ou simplesmente queriam destruir aquele lugar inteiro de uma forma ou de outra ele tinha uma certeza: Estava a salvo ele e sua querida amiga Annabeth também.
Seus olhos brilharam quando percebeu que não precisaria se unir a Cronos e seu exército, porém, também não conhecia aquelas pessoas que ele julgava que tivessem vindo para ajudá-lo e se realmente não fosse isso?E se eles julgassem que ele já havia se unido ao Titã e que já estivesse perdido?Será que se salvaria?E quanto a Annabeth?O que lhe aconteceria?Com tantas perguntas em mente ele não sabia o que fazer, apenas ficou parado observando os dois grupos se encararem sem saber ao certo o que fazer.
O centauro começou a dizer:
--Renda-se agora, todo o seu exército já foi dominado e em breve você também estará dando explicações diante do Olimpo.
Ele ficou imóvel, aparentemente assustado mais depois de um tempo ele finalmente reagiu e disse:
--Acho que está enganado meu querido centauro, o que vê aqui é apenas uma ínfima parcela das tropas do meu Senhor Cronos. Estávamos aqui tranquilos planejando o nosso ataque ao seu querido Acampamento, não há motivos para se estressar assim. Ele sorriu maliciosamente dando uma de bobo.
O centauro mudou a postura para uma expressão cansada como um pai ao repreender seu filho por algo que fizera de errado.
--Querido amigo Jones-disse ele com desprazer, estava claro que ele não era muito querido realmente-vejo que não muito desde que fugiu de nosso querido Acampamento-mais uma vez com aquele tom que dizia claramente o quanto ele havia sido cínico ao dizer que o Acampamento era querido por ele- Continua com a mesma arrogância e cinismo de antes. Se não quer pelo jeito fácil vamos pelo difícil: Preparar armas, semideuses, ao ataque!Bradou ele.
Com um rugido ele disparou com seu arco atingindo um dos homens ao lado de Jones que se desintegrou instantaneamente, com isso sobraram apenas Jones e seu outro guarda-costas, doze pessoas-bom, se considerarmos o centauro como pessoa e Pedro como uma ajuda- contra apenas quatro pessoas não deveria dar muito trabalho, porém, o guarda-costas de Jones valia por três semideuses enquanto que a perícia do outro homem contava por mais três.
Mesmo assim a batalha foi dura, inacreditavelmente aquele pequeno grupo deu um grande trabalho à equipe do centauro, mais no fim foram contidos e amarrados com grossas correntes de ouro (o outro guarda-costas foi morto também), Annabeth foi liberta e estava segura novamente o que desapertou um pouco o estranho nó na garganta do semideus este, contudo tinha suas dúvidas mas quando as expôs o centauro o repreendeu dizendo que ainda não estava na hora e que logo encontraria as respostas para todas as suas dúvidas.
Com tudo acabado o centauro se virou para onde estavam amarrados os guardas que haviam escoltado Annabeth até ali e Jones, surpreso, constatou que inacreditável e inexplicavelmente eles haviam fugido. Contudo, seu objetivo maior havia sido cumprido: Annabeth foi resgatada e tinham um semideus a mais para treinar e que lutaria ao seu lado se preciso fosse além é claro de destruírem uma de suas bases e retardarem os seus planos e objetivos.
Terminando de destruir toda a área eles se foram de volta para o Acampamento Meio-Sangue, que ficava no alto de uma colina perto de Long Island nos Estados Unidos.




Exército de Zeus
VANTAGENS:Mestre,Reflexos Aprimorado,Ambidestria;
DESVANTAGENS:Código do Combate,Código dos Heróis,Código da Honestidade.[/center]
avatar
Pedro Henrique

Mensagens : 30

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo:
Nível: 3
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Pedro Henrique

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum