Ficha da personagem - Violet E. Excelsi

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha da personagem - Violet E. Excelsi

Mensagem por Violet E. Excelsi em Ter 23 Jul 2013, 00:00

Sexo: feminino

Idade: 17

Raça: Semideus

Destreza: direito

Características:
Positivas:Fiel e extremamente questionadora.
Negativas Ciumenta e as vezes, chata.

História: Meu nome é Violet Elizabeth Excelsi. Nome estranho, não é? Por isso, em geral, todos me conhecem somente por Violet ou por Vio. Em geral, por Vio. Acho que meus pais estavam inspirados no dia em que me tiveram, pra colocar um nome tão grande desse. Mas eu jamais saberei. Só sei que eles morreram num acidente de carro e me deixaram para morar com meus avós. Que me odeiam. Eles negariam isso, mas essa é a verdade. Eu os decepcionei simplesmente por não ser como eles. Mas pelo menos, eles ainda me sustentam e me ajudam nas confusões em que me meto. Mesmo que sem vontade.
Estudo numa das melhores escolas de Long Island. Não tenho amigos ou pessoas para conversar. Não que eu realmente me importe. No fundo, já me acostumei com isso. E ate gosto. Talvez por ter deixado de me importar. Não sei, e não quero saber.
Tenho cabelos negros cacheados que caem sobre camadas nas costas, grandes olhos cor de mel, pele branca como leite, bochechas fofas que dão vontade de apertar, sardas que se espalham pelo rosto inteiro. Na maioria das vezes, as pessoas dizem que me pareço com minha mãe. Mas não sei, pois meus avós não deixam ver fotos dela. Não tenho ideia do por que. E no fundo, não quero saber. Estou sempre vestindo roupas em tom escuro, com camisetas de bandas de rock.
No momento, estou parada, olhando para a professora de matemática, e pensando como ela é assustadora. Com um simples olhar, ela já te deixa intimidada, como se fosse virar um monstro e arrancar tua cabeça. Bem no fundo, eu ainda tenho medo de que ela faça isso.
- Estão dispensados – ela disse, com um dos seus sorrisos diabólicos – Menos você, Alexandria.
Como ela poderia saber meu nome? Ninguém sabia. Só meus avós, e olhe lá. Sem contar que, a forma como ela pronunciou, me deu um frio na espinha, e na hora, eu sabia que algo de ruim ia acontecer. Então, eu virei. E no mesmo momento, eu soube que não deveria ter feito isso. Invés da minha professora havia um monstro. Bom, não sei se monstro é a palavra certa para descrevê-la, mas ali, na minha frente, via-se um humanoide de 2 metros de altura, olhos vermelhos e pele enrugada. E por mais incrível e estranho que pareça, um par de asas nascia de suas costas.
- Ah... Como eu esperei por esse dia. – Ela disse, me causando calafrios – você vai morrer, semideusa. Ah, você vai.
As palavras me atingiram como um soco no rosto. Como assim, semideusa? Ela sorria, percebendo minha confusão e mostrando um bando de dentes pontiagudos. Ela pulou sobre mim, e eu por instinto, me abaixei, fazendo com que ela caísse por cima de varias cadeiras. Sabendo que, sem armas, eu não teria qualquer chance naquela luta, eu sai correndo, sabendo que logo ela se levantaria e viria atrás de mim. Sem pensar, corri para o único lugar que veio a minha cabeça: O refeitório. Não, eu não queria comer numa hora dessas, mas era lá que o Leonardo deveria estar. Leonardo é meu professor, o único que havia me feito prestar atenção na sua aula em toda minha. Ele realmente estava lá, sentado numa cadeira e comendo seu fruto preferido, ou seja, maçã. Quando me viu, sorriu. Um sorriso que logo desapareceu quando viu a expressão em meu rosto.
- Meu Deus, Vio! O que aconteceu?
- Aula. Professora. Monstro. Semideus. Matar.
- O que?
Eu suspirei e expliquei tudo a ele.
- Ah, meus deuses. Eu devia ter percebido. Nós temos que ir embora, agora.
- Meus deuses? Deuses?! Não seria Deus?!
- Não, não seria. Agora vamos embora. Te explico no caminho.
- Anh... ta.
Foi então que ele tirou algo do bolso e me entregou. Era um pequeno bracelete prata de corrente, e por curiosidade, passei a mão por cima. Praticamente do nada se transformou em uma espada. Sem esperar por aquilo, a soltei e ela caiu com um estrondo no chão. Um sorriso diabólico me veio e eu senti vontade de fazer algo que jamais havia feito: Lutar. Mas antes que eu pudesse decidir o que faria, algo se chocou contra mim, e eu voei para parede. Senti dor em cada osso do meu corpo. Sabia que, a essa altura, o professor já estaria no estacionamento, esperando por mim, e não ouvia nada. Não tinha quem me ajudasse. Eu virei o rosto, e vi um par de olhos assassinos a pouca distancia de mim. Os olhos não eram nada perto do que os acompanhava. O mínimo a dizer é que aquilo era diabólico. Por um milagre, consegui não soltar a espada. Ela pulou no meu pescoço. Os dentes afiados prontos para penetrar na minha pele. Eu consegui empurra-la para longe do meu pescoço. Mas os dentes vieram em direção à pele do meu braço. Eu senti, eu senti quando aqueles dentes penetraram a pele do meu braço. Eu senti quando, bem lentamente, a dor se espalhava pelo meu braço. A dor era tão forte, que eu desejei estar morta. Mas eu ignorei. E chutei com toda a minha força o estomago daquele monstro. Para minha surpresa, ela voou na parede. O que me deu um pouco de tempo.
Eu enfiei a faca o mais fundo que consegui no pescoço dela. Ela deu um grito histericamente fino e me empurrou na parede de novo. Desta vez eu cai. E a espada caiu junto. O monstro então, aproveitando aquele momento de fraqueza, ela pulou novamente sobre meu corpo. Enquanto com uma mão eu a empurrava, com a outra tentava pegar a espada. Eu morreria a mais um golpe, eu sabia. “Eu só tenho que pegar a espada” Era o único pensamento que consegui formular em meio à dor. Finalmente, consegui pegá-la, e a cravei no pescoço do monstro, que com uma expressão de surpresa, se desfez em pó. Eu então, me arrastei ate o estacionamento que por sorte, não ficava muito longe da garagem. O professor por sua vez, já tinha notado a minha a ausência e voltava. Ao me ver ele me pegou no colo e a ultima coisa que me lembro é a expressão de terror em seu rosto velho.


Questionário: (uma resposta só para cada pergunta)

I) Qual desses adjetivos te descreve melhor?

d) Líder.


II) Se um dos seus amigos sumisse, o que você faria?
b) Iria procurá-lo só, pois não gosto de depender de ninguém mais.

III) Nas horas vagas, você gosta de:
a) Devorar livros.


IV) Sobre a sua família:
a) Eu entro numa briga por qualquer um da minha família.

V) Qual estilo de luta se aproxima mais do seu:
b) Vou ao encontro do meu adversário para bater nele.


VI) Você está passando pelo bosque quando vê um cara tentando pôr fogo nas árvores. O que você faz?

g) Rezo para que a alma daquele cara seja consumida no inferno.

VII) Como seria seu par perfeito, mais ou menos?
a) Impositor, protetor e corajoso.


VIII) O que mais gosta (ou gostaria) de fazer nas férias?
a) Pular de paraquedas ou voar de parapente.


IX) Se você pudesse escolher seu(sua) pai/mãe divino(a), quem seria?]
Zeus

Violet E. Excelsi

Mensagens : 3

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha da personagem - Violet E. Excelsi

Mensagem por Afrodite em Qua 24 Jul 2013, 10:53

Ficha aprovada, seu teste logo sera passado criança para vermos se é realmente filha do senhor dos céus




Afrodite Deusa Olimpiana
Deusa do amor e da beleza • Staffer  • Sexy • Linda e seduzente • plus que ma proprie vie...


Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
avatar
Afrodite

Mensagens : 138

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo: Zeus
Nível: 999999999
Inventário:

http://pll-secretsforever.forumeiros.com/forum

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha da personagem - Violet E. Excelsi

Mensagem por Hera em Qui 25 Jul 2013, 05:54

Aqui está o link para seu teste.

Boa sorte.
avatar
Hera

Mensagens : 154

http://mundomeiosangue.forumfacil.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha da personagem - Violet E. Excelsi

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum