O Ataque -Teste para Nerisa Bousier

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Ataque -Teste para Nerisa Bousier

Mensagem por Nerisa Bousier em Seg 31 Mar 2014, 14:43

As horas voam aqui. Ainda me lembro de quando eu morava com minha mãe. As vezes eu achava que lá era o pior lugar do mundo, mas agora, eu até sinto saudades de casa. Já fazem alguns dias que não vejo minha mãe. E sim, a saudade aperta bastante. Lembro-me de quando eu fiz meu primeiro bolo de chocolate sozinha e deixei a cozinha toda cheia de trigo e chocolate em pó, lembro de que minha mãe brigou comigo e eu achava que iria ser o fim do mundo. Não, não foi. É claro que não. Agora aqui estou, lembrando fatos do passado, minhas travessuras e meus elogios recebidos por ela, minha mãe era uma grande mulher, pena que nem sempre se dava conta disso.
Acabo de sobreviver a um café da manhã com os filhos de Hermes, são todos muito gentis e, bom, a palavra certa pode não existir para descrevê-los em uma só, mas podemos dizer que sã muito hospitaleiros. Já fiz algumas amizades aqui, não muitas, mas algumas. Embora ainda que tenha que andar sozinha ainda, eu já estou acostumada com a rotina em que levo, e, acho que nunca vou me cansei de passear á praia. Sim, a praia. A praia dos fogos é um lugar lindo, pode-se dizer que é meu preferido, oque é estranho, porque "é meu lugar preferido" não é uma das coisas em que pessoas normais e descentes diriam, apesar de eu não ser indecente.
Aqui estou eu, andando nas finas areias da praia dos fogos, sozinha, sentindo a areia quente tocar meus pés. Aqui estou apenas eu, minha camiseta dos Beatles, minha calça jeans esfolada e descorada, meu chinelo preto na mão esquerda e uma adaga em minha mão direita. Pois uma coisa em que me falaram quando cheguei, é pra sempre estar preparada. Mesmo assim, mesmo com a adaga, eu não estou nem perto de estar preparada. Não que eu tenha medo, mas sim de que eu não sei usar uma direito. E de tantos blablablá e terríveis monstros que eu tenha enfrentado até aqui, eu posso me considerar uma garota de muita sorte. 
Eu procurava olhar ao longe, e quanto mais eu lembrava, mais vontade eu tinha de nunca mais sair dali. Meus olhos fixos não se moviam a não ser um borbulho na água, um ressonar, um monstro surgia, solto meus chinelos deixando-os cair...
-Aí meus deuses!
Instintivamente lancei minha adaga com a maior intensidade e força que consegui colocar. As suas garras e focinho de cachorro em uma mistura de membros humanos me faziam sentir repulsa, tive vontade de correr, mas, mais do que nunca eu preciso ser forte, seu corpo e seus pelos lisos e lustrosos dissolviam-se em pó, onde as ondas podiam alcançar, sua espada em que antes brandia caiu-se, firmando-se na areia sendo arrastadas pelas ondas. Corri e juntei a espada, um metal brilhante, poderia ser tanto aço, ferro ou qualquer outra coisa, eu não saberia a diferença. Sabia apenas oque via em minha frente, uma espada, talvez um peso médio, mexia meu punho segurando a espada.
Temia que outros chegassem, eu não poderia laçar uma arma em seu peito a cada um que aparecesse, teria que ser mais objetiva, mais esperta. Se algo acontecesse, eu já estaria decidida, eu iria lutar. O feliz sentimento de alívio deixou-me então, algo que eu realmente nunca imaginaria aconteceu. Saindo das ondas, um caranguejo gigante surgia. Sem nenhum exito, fui a lutar.
A espada levantada em cima de minha cabeça, me ajudaria no impulso para golpeá-lo com força, corri em sua direção e ataquei-o em uma de suas pernas com toda a minha força, nem cócegas eu o fiz. Pelo contrário, o caranguejo irritou-se comigo, virou-se em minha direção com sua pinças enormes e tentou me agarrar. Corri para o outro lado de seu corpo e mais uma vez ataquei-o nas suas patas. O monstro estava irritado comigo, não há dúvidas. Porém, agora, eu precisaria ser bem mais veloz. O caranguejo poderia pisar em mim a qualquer momento, cada movimento e cada passo teria de ser ligeiro. Corri em volta so monstro e sempre que podia investia dois golpes no monstro, um de frente e o outro quando trazia a mesma de volta para mim.
Consegui deixá-lo vulnerável com muito esforço e pesar. Pensei em subir em cima dele e tentar enfiar a espada em suas "costas", não acho que daria certo. Por isso oque oque eu fiz entende por genial. Corri, me deixando cara a cara e frente a frente do enorme caranguejo.
-Urruu.. Eu estou aqui.. -gritei, chamando a sua atenção.
O grandão virou as suas garras para vir a minha direção, rebati uma e depois outra, e esperei o mesmo levar novamente suas garras para mim. Ele o fez, corri para baixo do caranguejo e golpeei suas pernas da direita, antes de qualquer outra reação do grandão, corri para frente dele novamente e depois corri até suas pernas da esquerda e por fim, consegui derrubá-lo. Dirigi-me até sua cabeça e então finalizei com ataques de espadas raivosos e pesados. O caranguejo havia morrido. Sorri.
-Boa sorte da próxima vez.. - zombei do monstro, morto e sem consciência doque se passa.
Junto de volta as minhas coisas, busco de volta a minha adaga e vou procurar Quiron, informá-lo sobre o ataque.




Nerisa Bousier
 °°Poseidon <3°°Ciumenta°°Linda°° thanks ▲
avatar
Nerisa Bousier
Poseidon
Poseidon

Mensagens : 12

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo: Filhos de Poseidon
Nível: 1
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ataque -Teste para Nerisa Bousier

Mensagem por Éris em Sex 04 Abr 2014, 18:26

Ficha aceita. Bem vinda ao acampamento, filha de Poseidon.
Atualizado.




Deusa Menor | Deusa da Discordia e do Caos | Glorious Chaos <3 ♠️
Deusa Éris
avatar
Éris

Mensagens : 165

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo:
Nível: 1
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum