[FP] Kyrian Hunter

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Kyrian Hunter

Mensagem por Kyrian Hunter em Qui 08 Maio 2014, 15:36



Bem vindo a aventura, espero que sobreviva!




Ficha de Reclamação


Sexo: Masculino

Idade: 16 anos

Destreza: Direito

Características:

Positivas:

ARTICULAÇÕES ULTRAFLEXÍVEIS (-1 ponto) O seu corpo é incrivelmente flexível. Reduza em dois pontos a dificuldade de todos os testes de Destreza que envolvam flexibilidade corporal. Espremer-se através de um espaço pequeno é um exemplo de uso para esta Qualidade.

MIRA AVANÇADA (-1 Pontos) - O personagem tem uma mira perfeita, conseguindo acertar alvos a distância com uma precisão absurda, mesmo em movimento. O personagem nunca recebe penalidades por atirar de muito longe ou em movimento, além de receber + 1 HAB quando usar uma arma de ataques à distância.

REFLEXOS APRIMORADOS [-1 pontos] - O personagem responde a ataques furtivos e pelos flancos com maior rapidez, conseguindo desviar de ataques e até responder a ataques surpresa com a facilidade de um ataque frontal.O jogador recebe Agi +1 para esquivas e tem direito a um teste de velocidade contra velocidade sempre que for receber um ataque surpresa,se for sucedido, ganha o direito de esquivar de um ataque surpresa como um ataque normal.

MESTRE (-1 Ponto) - Você tem um senhor, um mestre, um professor, tutor ou qualquer coisa que o valha. Ele tem ensinou coisas importantes e lhe treinou. Se estiver em apuros, pode lembrar de algum ensinamento e juntar forças para enfrentar um desafio ou sabedoria para desvendar um quebra cabeça. Ao comprar essa vantagem, ganha o direito de começar com 3 talentos, ao invés de 2. (pode ser comprada mais de uma vez).



Negativas

• Código do Caçador: nunca matar (combater ou capturar,quando necessário, mas nunca matar) filhotes ou fêmeas grávidas de qualquer espécie. Nunca abandonar uma caça abatida. Sempre escolher como oponente a criatura de aparência mais perigosa que esteja à vista.

• Código da Gratidão: quando alguém salva sua vida (ou de um ente querido seu), você fica a serviço dessa pessoa, até conseguir devolver o favor (salvar sua vida).

• Código do Criador / Bushidô: Nunca atacar, conspirar, contrariar, falhar ou mentir contra seu mestre, criador ou contratante. Caso negue suas obrigações por omissão deverá aceitar as punições. Esse Código é especialmente recomendado para mercenários, guerreiros samurais e escravos.

• Código do Combate: nunca atacar um oponente indefeso, ou em desvantagem numérica.



Qual seu/sua pai/mãe divino(a)?:  Melinoe

Quais as características físicas e de personalidade que lhe ligam a esta divindade?:    

Kyrian possui todas as características físicas do lado da família de seu pai, sendo um moreno alto de 1,75 que possui belos olhos castanhos e um corpo definido, mas já a sua personalidade é mais sombria, sendo que ele não perde muito tempo com outras pessoas, preferindo ficar sozinho e treinar Savate ao ficar falando com pessoas,  ele acredita que a morte sempre está ao lado dos vivos e por isso mesmo prefere não perder tempo com amizades falsas, mas valorizando sempre os poucos que considera verdadeiros amigos,  além disso Kyrian também acredita que  se não pode mover o céu, não existe motivo para não erguer o inferno.

Por que você acha que de fato este (a) deus(a) é seu progenitor(a) divino?:

  Porque nossas características se encaixam perfeitamente e  eu quero ser filho dessa deusa.

História:


Eu era filho de  um soldado francês quando era pequeno, pelo menos era isso que o diretor do orfanato sempre me dizia,  e pelo que se sabia ele havia servido ao lado de meu pai e o visto morrer,  nunca me disseram nada sobre minha mãe e eu de alguma forma nunca me interessei, minha vida no orfanato era simples, mas divertida.  De manhã eu estudava com os outros garotos e a tarde eu tinha uma liberação dada pelo diretor para poder treinar com ele o Savate.  O que eu estava indo fazer naquele mesmo instante.

                                                                                                   (...)

Savate: Arte marcial francesa que mistura chutes e socos potentes.  Era isso que eu fazia, era isso que meu tio fazia e que pelo que eu sabia toda a minha família sabia. Lutar era algo que vivíamos fazendo a gerações, éramos guerreiros, soldados, lutadores ou ao menos era o que o Diretor sempre dizia para mim nas sessões de treinos.

E era na arena, carinhosamente chamada por mim de “O Redemoinho” onde centenas de objetos de impacto eram pendurados por centenas de cordas giravam em torno de quem estava no centro e essa pessoa ao golpear um dos objetos causava uma reação em cadeia que fazia todos os objetos se moverem e a atingirem várias e várias vezes até a pessoa aprender a desviar dos objetos e se defender, para os outros aquilo era o inferno da dor, para mim, meu parque de diversões.

—Está prestando atenção Kyrian? Olhei para o homem que até agora estava falando sobre relatórios do dia e sorri de canto, apesar de eu ter o sorriso de minha mãe (Assim eu pensava), todo o resto eu devia ao lado da família de minha pai ( Assim o diretor dizia). Enquanto eu possuía uma pele morena e um corpo definido, meu pai possuía uma pele negra e um corpo definido por várias horas de treinos e musculação, tudo em meu pai era feito de puro músculo e força, mesmo que na foto que o diretor me mostrou ele já estar com uns quarenta e poucos anos.

— Alto e claro senhor Falei enquanto  sem emitir sequer um aviso saltei sobre ele em uma voadora que mirava sua cabeça, mas ele não seria pego por um golpe tão simples e logo desviou para a esquerda dando um risinho de desprezo enquanto eu aterrissava suavemente no chão. O treino ia começar.

                                                                                                                  (...)

Mesmo depois de ter passado há ultima duas horas treinando Savate com ele meu tio (Como o diretor queria que eu o chamasse) ainda insistia que eu fizesse o treino do redemoinho e nada que eu dissesse poderia mudar essa decisão dele, o que realmente era irritante, mas como ele havia mandado, ordens eram ordens.  E então assim que eu golpeei o primeiro objeto de madeira ele bateu em outro que bateu em outro e assim foi se repetindo até que todos os objetos estavam girando e se movendo em todas as direções e indo várias vezes em minha direção, mas como sempre, de alguma forma eu sabia quantos segundos levava para cada objeto atingir um ponto, sabia os segundos de meus movimentos e desviava facilmente de todos os objetos com movimentos mínimos, sempre sabendo em que segundo o objeto ia me acertar e desviando no momento certo, era como se eu conseguisse enxergar o tempo com perfeição.

  Horas depois eu estava deitado em minha cama, um garoto de seis anos cansado, que pensava em como seus dias estavam sendo chatos. Mal sabia eu o que iria acontecer no dia seguinte.

                                                                                                              (...)
 
Eram cinco horas da manhã e eu já estava acordado, nunca fui de dormir muito tarde ou de fazer birra como os outros garotos, e por isso mesmo assim que acordei logo comecei a andar por todo o orfanato que estava vazio e silencioso. Então ouvi o grito de uma garota e corri.
    Demorei cinco minutos para chegar ao “redemoinho” e pela primeira vez, eu vi uma cena que eu considerava ser possível somente em filmes: Uma garota estava sendo atacada por um ciclope com uma clava muito, muito grande.
                                                                                                               (...)

    Depois de superar o fato de que eu estava vendo um monstro mitológico atacando uma garota eu simplesmente avancei contra o monstro pegando a adaga que o diretor havia me dado aos cinco anos ( Sim, os presentes dele eram sempre desse tipo) e avancei contra o monstro soltando um estupido grito de "Ahhg' ridículo para um garoto de seis anos.  Mas antes mesmo que eu fizesse a idiotice de tentar matar um monstro bem mais forte do que eu somente com uma adaga que devia parecer mais um palito de dente para o ciclope, fui parado por um chute que eu podia reconhecer em qualquer lugar do mundo, mesmo se estivesse cego: O chute do meu tio e diretor do orfanato.

Antes que eu pudesse sequer protestar sobre o fato dele me impedir de ajudar uma garota em problemas ele simplesmente me virou as costas e atacou o ciclope com uma estranha espada que brilhava em puro bronze, golpeando as pernas dele e o fazendo urrar de dor enquanto tentava em vão acertar o diretor com sua marreta, eu sabia há muito tempo como as pernas daquele cara eram boas para correr e sair de qualquer golpe que tentassem dar nele e então nada pude fazer além de ver meu tio, diretor e professor agir como um guerreiro saído da era medieval e atacar o ciclope a todo estilo “kung fu panda”  e em questões de
minutos, game over. O ciclope estava morto, ou melhor dizendo, ele havia literalmente virado pó.

  Logo depois de matar o monstro o diretor simplesmente andou até mim, suas feições sérias e duras que raramente eram vistas e se ajoelhou em minha frente, respirando fundo antes de falar, calmo e sucinto.

[yellow] – Kyrian, o mundo que você vive tem mais mistérios do que você pode entender, mas eu vou te explicar  tudo com o tempo, mas para começar direi o nome de sua mãe, Melinoe e aliais, seu pai era filho de Ares. – Antes que eu pudesse perguntar qualquer outra coisa ele simplesmente se levantou e saiu andando como se nada tivesse acontecido. Eu conhecia bem o suficiente para saber que o resto ele só iria falar quando quisesse.

                                         [...]

Dez anos, esse foi o tempo  que demorou para que ele resolvesse me contar toda a historia de em que raios de mundo louco eu estava vivendo e enquanto nos vivíamos mudando de cidade, pulando de base militar para base militar e enquanto isso monstros e mais monstros vieram para cima de mim, enquanto eu me defendia da melhor maneira que podia, sempre com a ajuda de meu professor e diretor, mas o mais importante de tudo eram as  coisas que ele haviam me ensinado ano após anos: Deuses gregos ainda existiam e seus filhos semideuses também, eu era um semideus filho de Afrodite,  só eu e outros meios sangues poderiam ver os monstros,  somente uma lamina de bronze celestial podia matar os monstros e havia um acampamento para os meios sangues, lugar que segundo ele, eu só iria ao completar 16 e poder me virar, o que era hoje.

– Adeus meu aluno e amigo, viva suas próprias aventuras a partir de agora, eu prometi a seu pai que iria te treinar e assim o fiz agora é por sua conta, toma, era do seu pai – Anunciou o diretor me entregando o par de coturnos e partiu para dentro da base militar, não havia necessidade de palavras melosas e de despedida, agora era nossa de viver minha própria vida.  Então simplesmente o saudei como um bom militar e virei às costas para aquele que me ensinará tudo que eu sabia, estava na hora de viver uma nova vida e para isso eu tinha que chegar ao acampamento meio sangue.





Tenkis ♥ WOMH


Última edição por Kyrian Hunter em Seg 12 Maio 2014, 14:44, editado 1 vez(es) (Razão : Finalização da ficha)
avatar
Kyrian Hunter

Mensagens : 4

Ficha de Personagem
Filiação/Grupo: Filhos de Melinoe
Nível: 1
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Kyrian Hunter

Mensagem por Deméter em Seg 12 Maio 2014, 14:50

Reclamado! Seja bem-vindo, filho de Melinoe.




 Deusa da Agricultura!
Deméter

credits @
avatar
Deméter

Mensagens : 31

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum